24 de julho de 2014

A cidade de Olinda e a Praia de Calhetas em Pernambuco

Essa minha viagem a Pernambuco rendeu em! (rs) Pra finalizar a série de postagens desta terra colorida e calorosa venho postar as imagens de Olinda, o município das igrejas, e da praia de Calhetas, uma gostosinha prainha formada ao meio dos rochedos.

As primeiras imagens são de Olinda, que é uma cidadezinha histórica que fica bem pertinho da capital pernambucana, Recife. Segundo a Wikipedia, Olinda foi fundada em 1535 e é a mais antiga cidade brasileira considerada patrimônio histórico e cultural da humanidade pela UNESCO. E segundo o guia turístico que me acompanhou por um tempinho, Olinda teria sua origem numa suposta exclamação de um fidalgo português na época da colonização do Brasil, onde ele teria aportado e visto essas terras e dito;

 "Oh, linda situação para se construir uma vila!"



A cidade de Olinda se não me engano tem 19 ou mais igrejas, eu visitei duas, em uma delas encontra-se este azulejo legitimo português. O azulejo português somente tem cores em azul e branco, que é uma característica deste tipo de azulejo, que não deixa de ser uma bonita e rica obra de arte. Reparem nas falhas, os azulejos dali foram roubados, uma triste realidade que acontece ao nosso patrimônio histórico.


Abaixo o Mosteiro de São Bento, um importante complexo arquitetônico construído no estilo barroco, estilo este que floresceu no final do século XVI e manteve-se até meados do século XVIII. Repare nos ornamentos de contraste forte e dramático que são mesclados ao luxo, isso a fim de manifestar a euforia de se trilhar entre a materialidade opulenta, egocêntrica, e a vida espiritual. A arte é sempre uma bonita e intrigante forma de exteriorizar os sentimos de uma época, um grupo ou pessoa.


Aqui em uma parede de uma loja de arte e presentes, pinturas, relevos e boneco do famoso e diferente carnaval pernambucano, que tem forte influencia do ritmo do frevo. O frevo é um ritmo e dança brasileira que tem origem lá mesmo em Pernambuco, e foi declarado como patrimônio imaterial da humanidade, também pela UNESCO. O nosso Brasil é mesmo muito rico!




Esta imagem abaixo foi clicada logo na entrada da cidade de Olinda, o retrovisor do carro da minha prima foi decorado com flores, que eu acho que são de quaresmeiras, por um menino, em um sinal, que o enfeitou em troca de algumas moedas. Um triste contraste capturado pela minha câmera, onde a beleza das flores em primeiro plano, orna a dura realidade deste e de muitos garotos, infelizmente a desigualdade social é fortemente presente em nossa nação, será que um dia esta realidade deixará de ser necessária?


Aqui uma loja de quadros, e ao lado da porta em uma fileira vertical, replicas de obras de arte de um artista plastico local, Romero Brito.


De agora em diante posto as fotos da Praia de Calhetas, que como já disse, é uma gostosa prainha que teve sua pequena faixa de areia formada entre rochedos. Diferente da Praia de Carneiros que tem um ar paradisíaco com seus coqueiros a perder de vista e areia fininha, Calhetas me passa uma sensação diferente.



Nesta foto subaquática podemos ver corais e esponjas do mar, nunca tinha visto uma esponja do mar viva cara a cara, que emoção!!! A esponja é este ser estranho em azul claro, vocês faziam ideia que esta coisa em azul clarinho esta viva? E é considerado animal? A natureza é mesmo infinitamente maravilhosa! Pra quem não sabe, as esponjas do mar pertencem ao filo Porífera e alimentam-se por filtração, por isso o nome PORÍFERA, "que tem poros" por onde a água sai. 

Elas são formadas por "agregados" de diferentes tipos celulares, cada grupo de células tem uma função, tem as que criam um fluxo de água por batimento ciliar, outras que formar os "ossos" ou melhor dizendo as espiculas, outras que se encarregam de criar uma superfície externa resistente, e ainda outras que se encarregam de transportar partículas alimentares e as distribuírem para todas as células que não conseguem estar em contato direto com o fluxo de água. 

Gosto muito dos porífera, um aglomerado celular que não tem sistema nervoso nem órgãos e nem músculos, as células das esponjas são moveis, elas podem se locomoverem através de movimentos ameboides dentro do corpo da esponja, e mesmo assim conseguem de uma forma quase mágica formar um ser bioquimicamente unido, formando um organismo pluricelular. Elas foram os primeiros seres pluricelulares a surgir na face da terra.





Aqui um peixinho repousando por cima de um coral.



Esta praia me lembrou muito uma que fui aqui mesmo no Espirito Santo, lá em Guarapari, quem se lembra do Parque Morro da Pescaria? Clica aqui pra se lembrar.




E logo mais a cima das águas do mar, que se segue por uma tilha ao meio da relva, achei muito interessante o contraste desta rocha dura basáltica que esta a quebra ondas, com estas rochas que parecem sedimentares e quebradiças mais a acima da colina. Contraste de cor, dureza e textura em um trecho tão pequeno, sem falar na forte presença das forças da natureza que senti moldando esta paisagem, aqui o intemperismo se revelou presente em uma escala visível as nossas percepções visuais.




E mesmo por entre as rochas secas e quentes, há ainda quem se atreva habitar, certamente dotada de muitas estratégias anatômicas e fisiológicas para suportar esta adversidade climática.




E com este drinque de brinde a vida me despedi deste lindo cantinho do globo, com o coração feliz, e com a minha sempre sensação de quando visito lugares que me cativam "será que um dia vou voltar?", se sim se não, é disso que vivemos, de sonhos que se concretizam e logo se tornam momentos felizes que ficarão sempre guardados na memoria!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário! Thank you for your comment.